Total de visualizações de página

terça-feira, 6 de novembro de 2012


Isto é um alerta...

A enfermidade é um conflito entre a personalidade e a alma.
O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as dúvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a "criança interna" tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.
Os joelhos doem quando o orgulho não se dobra.
E as dores caladas? Como falam em nosso corpo?
A enfermidade não é má, ela avisa quando erramos a direção.
O caminho para a felicidade não é reto: existem curvas chamadas Equívocos,
existem semáforos chamados Amigos,
luzes de precaução chamadas Família,
e ajudará muito ter no caminho uma peça de reposição chamada Decisão.
Um potente motor chamado Amor.
Um bom seguro chamado .
Abundante combustível chamado Paciência.
Mas principalmente um maravilhoso Condutor chamado DEUS!

TODOS NÓS SOMOS SUSCEPTÍVEIS AO SOFRIMENTO E PREDISPOSTOS A FELICIDADE.

O verdadeiro perdão pressupõe compreensão. Quando se compreende, se perdoa. Quando se perdoa, se está em paz!









6 comentários:

Élys disse...

Gostei muito deste texto, precisamos estar atentos.
As imagens são muito bonitas.
Beijos, Élys.

Graça Pereira disse...

Passo para te desejar um Feliz Natal e um 2013 em GRANDE!
Beijo
Graça

António Jesus Batalha disse...

Ao passar pela net encontrei o seu blog, estive a ler algumas coisas e posso dizer que é um blog fantástico,
com um bom conteúdo, dou-lhe os meus parabéns.
Se desejar faça uma vista ao Peregrino e sevo e deixe o seu comentário.
Sou António Batalha, do Peregrino E Servo.

Fabrício Santiago disse...

Saudade desse cantinho, mas o bom filho a casa torna..rs
Delicado seu texto!
Aproveito pra avisar que acabo atualizar a acanhada Narroterapia com o segundo capitulo do conto Sempre Haverá Pássaros, e quero muito seus comentários.
abraços
Fabrício

Denise disse...

Nosso corpo nos alerta para aquilo que insistimos em não ver. Ótimo post. Muita paz!

Graça Pereira disse...

Depois do alerta...está a solução : Deus!! Gostei.
Estive ausente do meu blogue mas...voltei por amor.
Beijo e boa semana.
Graça